sábado, 7 de dezembro de 2019

O FUTEBOL ROMÂNTICO ACABOU? NÃO PARA MESSI E O BARCELONA...

Os filhos de Messi lhe entregaram a bola de ouro
Se ainda houver quem não esteja convencido de que Lionel Messi pode ser comparado a Pelé e a mais ninguém, e que dentre esses dois fica difícil chegar-se a uma conclusão consistente sobre qual é o melhor, o vídeo abaixo o ajudará a refletir melhor.

É da partida deste sábado (7), Barcelona 5x2 Mallorca, pelo Campeonato Espanhol. Messi fez simplesmente três golaços, dois dos quais arrancaram a expressão "Nossa!" do narrador. 

De quebra, Suárez marcou, de calcanhar, aquele que provavelmente será escolhido como o gol mais bonito da temporada. E tivemos um raro exemplo de lançamento direto do goleiro Ter Stegen para o atacante (no caso, Griezmann) ganhar dos zagueiros na corrida e iniciar a goleada.

Se a janelinha não abrir por causa dos malditos direitos
autorais, clique aqui para ir diretamente ao Youtube

6 comentários:

José S... disse...

Ele sempre foi o melhor. Visitam https://conectadosaopaulo.blogspot.com/

Anônimo disse...

Celso, é compreensível essa tua repulsa pelo Santos e pelo Pelé; afinal de contas, causaram-te inúmeras tristezas nas reminiscências das década de 60 -- foram 11 anos sem vencer o Santos! Ocorreu até comemoração pelas ruas de São Paulo, como se um título houvesse conquistado, quando da quebra do tabu. O velho coração corintiano não esquece, não e mesmo, Celso? Entra nesse caldo a ojeriza pelo Edson Arantes do Nascimento. Sim! Pelo Edson (o cidadão), pois o Pelé (o futebolista) é do Olimpo, não tem defeitos ahahahahaaa. Melhor (e bem melhor) do que Messi há Diego Armando Maradona. Como cidadão e como futebolista.

celsolungaretti disse...

Anônimo das 8h36,

por que vc não dá uma olhada no que mais o articulista escreveu sobre o assunto? Várias vezes já contei que o Santos era meu segundo time na época do tabu.

Via seus jogos pela TV e vibrei muito quando o Santos foi campeão MUNDIAL de clubes em 1963 (se a Fifa agora a chama de "Copa Intercontinental", que se dane! Naquela época a Europa e a América do Sul estavam anos-luz à frente dos outros continentes e quem vencesse um tira-teima entre o campeão da Europa e o campeão da nossa América era mesmo o melhor do mundo!).

O Milan havia vencido por 2x0 na Itália e estava vencendo por 2x0 no Maracanã (Pelé, contundido, ficou de fora). Aí caiu um temporal no intervalo e no 2º tempo o Santos virou o jogo, graças aos petardos do Pepe (fez dois gols de falta), ao Almir ter começado a jogar como um possesso e à equipe ter-se empolgado). No jogo extra, 1x0 para o Santos, gol de pênalti.

Os lances do Pelé eram sensacionais, as tabelinhas com o Coutinho inesquecíveis e a real bronca que eu tenho dele é muito diferente da que você imagina. Cultuava a própria imagem futebolística como se Pelé fosse um deus e Edson um simples mortal. Então, depois de ter sido um dos principais responsáveis pelo tri, não quis arriscar-se a ser um fracasso na sua derradeira copa.

Apesar de receber uma enxurrada de apelos, negou-se a disputar o Mundial de 1974, alegando que já fizera sua despedida oficial da Seleção Brasileira e não podia voltar atrás. Isto eu podia aceitar, embora lamentando que ele não estivesse em campo na semifinal contra a laranja mecânica, pois o Brasil disputou um 1º tempo muito superior e só faltou um pé calibrado para mandar a bola às redes. Na segunda etapa, a Holanda melhorou e fez 2x0.

Depois, contudo, para responder às críticas que Deus e o mundo lhe faziam, saiu-se com a lorota de que não quis jogar porque o Brasil estava sob ditadura. Esta não dava para eu engolir. Quer dizer que, no auge do terrorismo de Estado sob Médici, ele não sentira remorso nenhum de vestir a amarelinha e, quatro anos depois, quando as torturas e as execuções já tinham diminuído em uns 95%, aí sim ele descobriu que havia uma ditadura?! Conta outra...

Para um veterano da luta armada, que perdeu amigos pessoais e companheiros estimados naquele turbilhão, era uma ofensa capital alguém estar usando nossa tragédia como uma desculpa esfarrapada!

E a coisa ficou ainda pior quando, por ter empregado mal sua grana, Pelé aceitou voltar aos gramados em troca de um caminhão de dólares do Cosmos. Aí o fato de já ter feito suas despedidas oficiais e a torcida poder sentir-se lograda já não o impedia mais de jogar!

Então, nunca tive ojeriza pelo Pelé como futebolista, mas sim como cidadão, e isto já na fase final de sua carreira. Na época do tabu eu o via apenas como um adversário que cumpria bem o seu papel, por que ter raiva dele?

Anônimo disse...

Celso, esqueça isso de querer comparar Pelé com fulano, beltrano ou sicrano. Isso é mais velho do que andar para trás. Já faziam isso desde di Stefano, passando, por Cruyff, Maradona, Ronaldinho Gaúcho e etc etc e etc. Havia, inclusive, um ex-apresentador de programas policiais e eterno futuro candidato a algum cargo político (por coincidência, corintiano fanático rsrsrs)que se esgoelava na época em que Ronaldinho Gaúcho jogava na Europa, afirmando que havia aparecido alguém melhor do que Pelé: Ronaldinho Gaúcho kkkkkkkkkkk. A questão não é quem é melhor do que Pelé (como diz o seo Macia, o velho Pepe, Pelé é de outro planeta. O cerne é: Quem foi melhor depois de Pelé? Aí vem as demais opções: o sempre esquecido e desprezado Garrincha,Maradona,Zidane, Cruyff, Ronaldinho etc.

Anônimo disse...

Quanto ao Edson, assino embaixo tudo aquilo que tu escreveste.

axel_terceiro disse...

Problema do Messi a meu vê é uma tremenda falta de personalidade. O que o cara tem de brilhante (melhor jogador que vi) ele tem de bunda mole. Aceita jogar num time que, desde que o Guardiola saiu, se tornou um caos técnico, tático e administrativo sem se impôr. Tivesse metade da ganância do Cristiano já tinha zarpado pra um time mais competitivo

Related Posts with Thumbnails